Hérnia de disco: O que é? Sintomas e Tratamento?

As dores nas costas, além de muito incômodas e limitantes, podem possuir tratamentos extremamente complexos. Talvez você sofra deste mal, e ainda não tenha buscado ajuda médica.

São várias as causas para esta dor, e neste artigo, abordaremos a hérnia de disco. Para entendê-la, prossiga a leitura!

Como se forma a Hérnia de Disco?

A coluna vertebral é uma estrutura óssea extremamente importante para garantir a sustentação e locomoção dos indivíduos.

Dentre as vértebras, existem os chamados discos intervertebrais, que possuem como função:

  • Manter a coluna rígida e firme, ao mesmo tempo em que conferem algum grau de flexibilidade;
  • Amenizar o impacto de movimentos e pesos;
  • Estruturar a coluna.

Em outras palavras, os discos podem ser entendidos como amortecedores. Porém, há fatores que prejudicam o amortecimento:

  • Cargas constantes à coluna;
  • Sobrepeso;
  • Falta de fortalecimento da musculatura (principalmente por sedentarismo);
  • Má postura;
  • Tabagismo;
  • Genética;

Dentre outros.

Com o passar do tempo, os ossos são sobrecarregados e transferem as altas cargas aos discos vertebrais, resultando em “esmagamentos” e/ou protrusões destas estruturas, formando as hérnias de disco.

Quais os sintomas?

Em um primeiro momento, a hérnia de disco pode não manifestar nenhum sintoma. Depois, ela evolui com uma dor localizada na coluna.

À medida que os discos são destruídos, tem-se a chamada ciatalgia, popularmente conhecida por “dor ciática”, em que a dor das costas corre para as nádegas e pernas.

Menos comumente, alguns pacientes apresentaram tremores, tonturas, e sintomas atípicos.

Locais mais comuns

Como é de se esperar, a coluna lombar é o local mais acometido ( lombalgia ). Mas, devido ao grande impacto a que também são submetidas, as colunas cervical e torácica também podem manifestar hérnia de disco.

Diagnóstico

Quando a dor ainda é localizada e pouco específica, o diagnóstico tende a ser uma tarefa complexa, afinal, nem sempre são solicitados exames.

Dentre as possibilidades diagnósticas estão:

  • Radiografia: é um exame simples e de baixo custo.
  • Ressonância magnética: é uma modalidade complexa, porém que diagnostica com maior precisão.

Possibilidades de tratamento

O sofrimento e as limitações trazidas por hérnias de disco fazem com que muitos pacientes busquem vários especialistas e profissionais da saúde com o objetivo de curar a condição.

Embora existam várias opções de tratamento, é preciso ter em mente que é preciso uni-las para se ter um melhor resultado.

1) Medicamentos:

Devem ser tomados com o objetivo de reduzir a dor, porém não consegue reverter o problema. Portanto, são chamados de sintomáticos.

2) Cirurgia:

É uma possibilidade para pacientes que sofrem de casos complexos de hérnia de disco, porém, devido aos inúmeros riscos, operar nem sempre é uma opção.

3) Perda de peso:

Emagrecer fará com que a coluna precise suportar uma menor carga, e assim, existe uma tendência de redução dos sintomas. Fale com um nutricionista. Clique aqui.

4) Acupuntura Distal:

acupuntura para hérnia de disco

A acupuntura é um excelente método para aliviar a dor e possibilitar que o indivíduo volte a realizar suas atividades diárias. Quando feita distalmente, agulhas são inseridas em locais distantes da dor, apresentando melhores resultados e de forma imediata.

5) Osteopatia:

Consiste em técnicas manuais que manipulam a coluna para a redução da dor. Clique aqui e saiba mais.

6) Mesa de Tração Eletrônica

Consiste em um tratamento em que utiliza uma unidade de tração que tem como função aumentar o espaço intervertebral, o que reduz a compressão na raiz nervosa. Saiba mais.

Como prevenir?

Se você está iniciando com um quadro de dores nas costas, ou mesmo deseja evitar o problema, lembre-se que prevenir é melhor que remediar!

Dentre as medidas recomendadas por especialistas no combate à hérnia de disco, estão:

  • Manter uma boa postura;
  • Praticar atividades de fortalecimento, como Pilates;
  • Realizar avaliações periódicas com um fisioterapeuta;
  • Manter-se dentro do peso ideal;
  • Evitar carregar pesos excessivos;

E claro, visite regularmente um fisioterapeuta para um estudo detalhado de toda a sua coluna!