Como reconhecer e tratar a enxaqueca?

A Enxaqueca é um sintoma extremamente incômodo, e que pode reduzir drasticamente a qualidade de vida dos pacientes. Quando o quadro ocorre vários dias em um mesmo mês, o impacto é ainda maior.

Se você sofre com este problema há algum tempo, prossiga a leitura e encontre a solução!

O que é a Enxaqueca?

Embora ainda não tenha seus mecanismos muito bem elucidados, acredita-se que a enxaqueca ocorra devido a distúrbios vasculares cerebrais (isto é, dos vasos que levam sangue e nutrientes para o cérebro).

Para os pacientes, ela se manifesta com:

  • Dor de caráter pulsátil;
  • Duração de até 48 horas;
  • Náuseas e vômitos;
  • Intolerância a luz (fotofobia);
  • Intolerância ao som (fonofobia);

E muito mais.

Cada indivíduo possui uma experiência única com a dor, e, portanto, a análise e avaliação devem ser particularizadas.

Quando a enxaqueca ocorre?

Como dito anteriormente, esta modalidade de cefaleia pode variar de pessoa para pessoa. Mas, existem alguns fatores desencadeantes que são mais prevalentes:

  • Estresse excessivo;
  • Privação do sono;
  • Consumo de café ou outros que contenham cafeína;
  • Grandes quantidades de chocolate;
  • Exposição excessiva a telas (celulares ou computadores);
  • Tensão pré-menstrual nas mulheres (chamada de TPM).

E claro, ela pode ter início sem nenhum fator, o que também é muito comum dentre os pacientes.

Diagnóstico

Afinal, como é feito o diagnóstico de enxaqueca? Na maioria dos casos, nenhum exame precisa ser solicitado.

O responsável pelo diagnóstico é sempre o médico, e em casos que há dúvidas, pode ser realizada uma tomografia de crânio – com o principal objetivo de excluir outras doenças (a exemplo de tumores).

Para auxiliar a descobrir a causa da doença, especialistas pedem que seus pacientes façam um “diário” da dor. Assim, ao final de cada dia, anota-se a presença ou não de dor, uso de medicamento, intensidade, etc.

manipulação na cervical

Tratamento

O primeiro recurso que muitos buscam para a enxaqueca são os medicamentos. E claro, eles podem aliviá-la.

Mas muito mais importante que “remediar” (literalmente), é preciso abordar a causa e os fatores desencadeantes da enxaqueca.

Pensando nisso, elaboramos uma lista com medidas que poderão te ajudar:

1) Reveja os seus hábitos alimentares

Agora, você já sabe que alguns alimentos podem desencadear e/ou agravar as crises de enxaqueca.

Sendo assim, vale a pena apostar no consumo de alimentos naturais, evitando aqueles excessivamente industrializados e ricos em conservantes. Clique aqui e veja um especialista.

2) Retirada do fator causal

Quando existe um fator conhecido, este deve ser retirado imediatamente para evitar novas crises.

Por exemplo, mulheres que sofrem durante a TPM, poderão fazer uso de anticoncepcionais hormonais.

3) Higiene do sono

Dormir bem pode ser a saída para muitos problemas de saúde, inclusive para a enxaqueca. Pensando nisso, aposte na higiene do sono, que consiste em:

  • Deitar-se todos os dias no mesmo horário;
  • Evitar bebidas estimulantes antes de dormir;
  • Não levar o celular para a cama;
  • Deixar o quarto escuro e confortável;
  • Acordar todos os dias no mesmo horário.

4) Acupuntura distal

A acupuntura é uma modalidade de tratamento cada vez mais bem aceita pela comunidade científica, até porque, existem milhares de evidências quanto à sua eficácia.

Em se tratando de enxaqueca, existe um método valioso, chamado de Acupuntura Distal. Diferentemente da convencional, aqui, o agulhamento não é feito no ponto da dor, mas sim, em locais correspondentes e o melhor, o resultado é IMEDIATO.

5) Osteopatia

Para saber mais sobre a Osteopatia e agendar uma avaliação, converse com um especialista de sua confiança – que pode ser um fisioterapeuta capacitado em acupuntura.

Compartilhar:

Rua Setúbal, 777 Lj. 2

Boa Viagem Flat - Recife - PE

Telefone

(81) 3052-5441

Nosso WhatsApp

(81) 98606-9554

Atendimento

Seg - Sex: 06:00 às 21:00